Por que chorar seria errado?

Hoje, particularmente, foi um dos dias que inclui na minha lista dos “Piores dias da depressão” . Não que os outros dias venham ser coloridos e com cheiro de flores, mas minha alma gritou e por um tempo, não permiti que ela gritasse. Mas depois lembrei que ninguém pode me impedir de chorar (isso seria surreal), então deixei minha alma gritar. Enquanto ela gritava, eu chorava e soluçava porque senti a dor e o peso que todos nós (depressivos) levamos 24hs por dia.

Se você está sentindo dor, por que bancar um de fortão? Chore! Às vezes isso faz bem, alivia nossa dor (às vezes). Quando o choro não nos trás um certo alívio, alguns de nós recorrem a outras maneiras de aliviar a dor. Automutilação… Isolamento total… Suicídio…

Eu sei quanto a vontade de chorar é gigantesca! Mas faz bem tirar de nós tudo aquilo que nos faz mal, então choremos! Eu pensei em várias coisas, assim como você também pensa quando está no nível extremo da depressão, mas não me machuquei e não me matei (ao contrário não estaria postando isso rs).

Estou vivendo um grande problema que a maioria de nós vivemos: O NÃO ENTENDER DOS NOSSOS FAMILIARES.

Eu já disse em outro post que vocês (familiares) não precisam nos entender, não podemos cobrar isso de vocês. Mas se querem o nosso bem de verdade, TENTE nos entender ou simplesmente nos AME!

Deixe que venhamos ter nossos momentos sozinhos. Às vezes para nós, ficar todo o tempo com alguém -mesmo que vocês vejam isso como uma forma de não nos matarmos ou algo assim- é sufocante! Nossa doença por um momento manda na gente e precisamos chorar em paz e SOZINHOS!

Precisamos permitir que nossa alma grite. E a pior coisa que pode acontecer nesses momentos é que venhamos explodir na frente de alguém que amamos.

 

Anúncios

2 Verdades e 2 Mitos sobre a depressão

1. A depressão é uma doença.

V-E-R-D-A-D-E

  Mesmo que não haja sintomas físicos para diagnóstico, de acordo com o dicionário (a doença é caracterizada como ausência de saúde, um estado que ao atingir um indivíduo provoca distúrbios das funções  físicas e mentaise o profissional que cuida de quadros psiquiátricos, a depressão é uma doença assim como todas as outras. (Deu pra entender?)

Resultado de imagem para gifs ata

 

 2. Quando uma pessoa está em depressão, ela não odeia a vida e nem tem desinteresse por ela a ponto de cometer ou cogitar o suicídio.

V-E-R-D-A-D-E !

WHATS?!

  Entenda que quando a dor de um indivíduo se torna gigantesca por longo período, é provável que este esteja em depressão. Quando a dor da alma se revela por completo nas crises depressivas, cogitamos que só a morte nos livrará dessa tormenta. Mas isso não significa que odiamos a vida, muito pelo contrário! A amamos tanto que parte de nossa dor é por não poder vivê-la como uma pessoa sadia psicológicamente e fisicamente. Queremos viver, mas nos sentimos mortos pra isso.

Resultado de imagem para gifs chorando

 

3. O primeiro/primeira psicólogo que você irá será o melhor psicólogo de todos!

MITO GERAAAAL ! (risos)

 Pode não ser o primeiro, nem o segundo, nem o terceiro psicólogo.. Comigo foi a terceira! Segunda na verdade, uma eu nem quis ver (risos). Mas entenda que se a primeira consulta da sua vida foi não muito agradável, não é culpa sua e sim do psicólogo!

  Isto se deve ao fato de cada profissional ter sua maneira de trabalhar, então por favor, se você desistiu das terapias logo depois da primeira consulta com aquele psicólogo sem noção, vá a outro! E o procure pelo mundo se for preciso! Quando encontrar, aaaah como vai ser tudo diferente e finalmente você vai ser ajudado de verdade, porque ele vai se importar com você além de tudo!

Resultado de imagem para gifs ata

E talvez ele seja tão doidinho quanto você! rs (isso é bom tá? 😀 )

 

4. Sua família irá te apoiar sendo a melhor família de todos os tempos! Compreensiva e paciente. 😀

ISSO FOI ATÉ PIADA, EU SEI (RISOS)                               ->> MITOOOOOO

 

Recebi várias mensagens pedindo socorro com os familiares desde que criei o blog. A maioria dizia que o pior de tudo era não ter o apoio de sua família, e concordo com isso plenamente!

  Já é ruim você se sentir mal por fazer com quem você ama se sentir mal por você, agora imagina você se sentir pior ainda porque não tem o apoio deles! Sei que é muito difícil conviver com uma pessoa em estado depressivo ou em qualquer outro estado psíquico, mas tente pelo menos nos dar apoio. O desânimo vem.. e a vontade de largar o tratamento então..

PARA OS FAMILIARES:

NÃO PRECISA NOS ENTENDER. APENAS NOS AME.

Resultado de imagem para gifs chorando

 

Busca para ser aceita magra

Meninas e meninos do mundo todo têm conhecido a Anorexia e a Bulimia a cada dia que passa, isso é um fato! Mas por quê eles decidem -na maioria das vezes- entrar nesse Labirinto?

  Se você fazer uma pesquisa com 10 mil pessoas que sofrem ou já sofreram com distúrbios alimentares vai perceber uma vírgula na história de cada um. Todos eles sofreram por não ter o “corpo perfeito”. Todos eles tiveram sua autoestima quebrada. E 99% dos anoréxicos e bulímicos por opção (ou não) sofreram ou ainda sofrem com o BULLYING.

Já falei aqui no blog sobre QUAL SERIA O CORPO PERFEITO.Resultado de imagem para modelos magras

  De um lado, pessoas querem ser magras. E se for como as modelos, melhor ainda.

Resultado de imagem para mulheres malhadas

 

Do outro, pessoas querem ter uma bunda grande, seios grandes, coxas e pernas grandes..

Então, qual seria o corpo perfeito? 

Quem dita o corpo perfeito?

A Tv? As passarelas? A sociedade?

Nenhuma dessas respostas estão incorretas. Mas o que temos que pensar hoje em pleno século XXI é que as pessoas PRECISAM evoluir mentalmente.

Parar de buscar ser o que o outro quer que você seja.

Quem dita o corpo perfeito é você. E você já tem o corpo perfeito !

  Já parou pra pensar que em mais de 6,1 bilhões de pessoas existe apenas UM de você? Pensa só… é um corpo, uma mente, uma alma, um espírito, um DNA inigualável !

 São 6,1 bilhões de corpos perfeitos. Cada um sem igual . Único. Com sua própria beleza sem ter que ser comparada ao outro completamente diferente de você.

Mas o que importa é isso:

PESSOAS COM DISTÚRBIOS ALIMENTARES NÃO QUEREM SOMENTE SEREM MAGRAS PORQUE ACHAM QUE É O CORPO PERFEITO, MAS PORQUE BUSCAM SER ACEITAS.

Grupos de pró Ana e Mia

Talvez você seja pai/mãe e esteja lendo isto porque descobriu (ou desconfia) que seu/sua filha está sofrendo de anorexia e bulimia nervosa.

Aqui darei dicas de como descobrir se isto é ou não verdade:

 

p.s   s e i   q u e  t o d o s   p r ó   a n a   e   m i a   v ã o   m e   o d i a r   p o r   i s s o.

  1. Procure no celular do seu filho fotos de pessoas magras (ou extremamentes magras)
  2. Também no celular, busque grupo(s) no whatsapp que seja à favor da magreza (os famosos grupos de apoio a Ana e Mia)
  3. Procure cartas escritas pelo seu próprio filho (geralmente, Anas e Mias escrevem para sua amiga Anorexia e Bulimia -lembre que para eles, elas são reais-)
  4. Repare se o comportamento do seu filho mudou de algum tempo pra cá (se ele anda mais calado, mais fechado, se recusando a comer junto com você ou com outras pessoas, pode ser sinal que ele esteja evitando trair a “Ana”, comendo.)
  5. Repare no seu corpo. Os cabelos ficam mais fracos à ponto de cair; as unhas antes fortes, se quebram com muita facilidade; e baixo dos seus olhos agora exitem olheras. Além de sua pele estar ficando ou já está pálida.

 

 Sei que isso quebra a privacidade do filho, mas anorexia e bulimia não é algo que se brinque. Exige quebra de privacidade, até proibição de usar a internet é válido (sei quanto é doloroso para o adolescente/criança, mas é algo necessário! Já que várias pesquisas são feitas no Google -ou na Deep Web- sobre como emagrecer mais rápido, como vomitar sem fazer barulho, como perder ***kg em 1 semana..enfim!)

.

.

Qualquer dúvida, entre em contato através do e-mail: antianamia@outlook.com.br

Ou escreva sua dúvida nos comentários e eu responderei a todos.

Família: como lidar com anorexia/bulimia?

Imagem relacionada

Eu sei que muitas pessoas que se perderam no mundo da anorexia/bulimia querem ser ajudadas agora, porque enxergaram que não estão bem, que isso não é normal, não é um simples “estilo de vida”.

  Entretanto, há a parte da família que entra nesse jogo. A família é muito importante para que a pessoa com o trantorno alimentar, venha se sentir segura em dizer como se sente e venha ver os membros de sua família como uma base para superar esse estágio da doença. Mas todos que sofrem com anorexia e/ou bulimia, uma hora dá um “estalo” e eles param e dizem a si mesmos “eu preciso de ajuda.” e a família entra exatamente aí com o apoio.

Talvez você não tenha uma família que você possa contar nos momentos dificéis, mas é necessário que alguém saiba e que você venha fazer o tratamento necessário com o psicólogo e o psiquiatra. E não ter vergonha do que você está passando, porque isso é temporário e você com a ajuda e o apoio de seus amigos e família, você vai ser curado e vai se reaprender como pessoa.

Continuar lendo

Nem Anna, nem Mia!

Por: Pérola Boudakian

Não há um jeito mais tranquilo de falar sobre isso…

Temos que ir direto ao ponto. Sem demora!

Outro dia assisti dois programas no canal Discovery Home & Health que me deixaram de cabelo em pé. Um deles “8 anos e anoréxica” e o outro “Anorexia Virtual”. Fiquei triste e chocada com ambos. No primeiro, uma garotinha de oito aninhos que parou de comer. Simplesmente não comia para não engordar, ela ficou 15 dias sem comer e chegou ao impensável de torcer o fio do soro glicosado para não entrar em seu corpo quando foi internada. O segundo, um documentário, mostrou meninas na Inglaterra que criam sites para gerar apoio ao desenvolvimento dos dois distúrbios alimentares mais sérios e graves: a anorexia, que recebe o código de “ana” e à bulimia , chamada de “mia”. Assisti a tudo aquilo com tristeza e pensava se havia aqui no Brasil redes de blogs e sites assim, com uma curiosidade recheada de medo, eu cliquei no Google e digitei os codinomes, chocada vi sites e blogs que disseminam cardápios, meninas adoecidas que entraram nesse universo e estão perdidas em si mesmas. No documentário inglês foi exibida a forma como as meninas incentivam dietas de menos de 300 calorias diárias, formas de ficar sem comer por dias e “painéis” de incentivo com mulheres magérrimas, beirando a morte. A ideia é que quanto mais osso, apareça, melhor. Um desvirtuamento absurdo da estética, do corpo, da auto-imagem.

Aí, eu mãe de dois, mulher E psicóloga, penso no mundo que nos cerca hoje, uma sociedade permeada de futilidades “vendidas” como essenciais, de exibições, de vitrines do corpo perfeito, da vida perfeita, das dietas e da falta de pertencimento. Me lembro da filha do Tom Cruise e suas exibições de vestimentas, glorificadas por seus pais enquanto a garotinha tem apenas 4 aninhos, vejo os concursos de pequenas misses, com menininhas de 03 aninhos sendo depiladas, bronzeadas artificialmente e tratadas feito bonequinhas nos EUA, me recordo das propagandas de sapatinhos de salto, de meninas-crianças sendo tratadas como mini-adultas, com mini-saias, esmaltes e maquiagem, me lembro da erotização infantil, e porque não da pedofilia, que cerca esse universo perversamente!

E penso, com mais tristeza, que essas meninas tomam para si uma cobrança gigantesca de corresponderem a imagens inatingíveis postas como “verdade” pela mídia, pela novela, pelas cantoras, modelos e revistas! E essas meninas acreditam que para ser feliz tem que pesar X, que para ser bonita tem que pesar Y, Que precisam exibir ossos. E idolatram a doença. Idolatram a doença! (repita isso e veja o quanto é dolorido pensar nesse universo!) Desejam a doença. Onde começa e onde termina esse ciclo vicioso? Como, nós mães e pais, professoras, psicólogas, tias, avós podemos intervir? Qual é nosso papel?

Do lado de cá, posso dizer como mãe que não incentivo, não estimulo e NEGO essa forma deturpada de posicionar meninas-crianças, meninas-adolescentes e meninas-jovens no mundo. Como profissional vejo um caminho de possibilidades: encontrar o equilíbrio, acolher a dor dessas meninas, revelar a si mesmas a “boniteza” de ser quem é, de abraçar a imagem real. Um longo caminho para dentro de si mesmas que é sim possível e que pode ter um desfecho diferente.

Todo mundo quer se sentir bem consigo mesmo, ser bonito, ter saúde e um corpo bacana. Mas é preciso rever a lógica em que um número dita a felicidade: seja de manequim, da balança ou o que quer que seja. Ser e estar saudável, feliz consigo mesma envolve muitos aspectos, muitas nuances e cada pessoa precisa ser olhada em sua singularidade, acima de tudo com amorosidade, com ternura e com assertividade.

Precisamos rever com urgência essa realidade maldosa, perversa que cerca meninas pelo mundo. Me parece algo universal, algo que nos pede atenção e cuidado!

E você? O que pensa disso? Como pode mudar isso a partir de sua realidade?

Dicas para os adultos: Como lidar com o bullying sofrido pelos filhos?

Dicas para os adultos 

 Os pais, professores e todos os funcionários da escola têm a responsabilidade de se unirem para tornar as escolas ambientes livres de violência e de bullying. Como um adulto – seja no papel de pai ou de funcionário da escola –, você pode fazer muito para acabar com o bullying. A campanha “Chega de bullying, não fique calado” precisa do envolvimento dos adultos por meio de muito diálogo e com o aprendizado de estratégias efetivas, o estabelecimento de regras claras e vigilância.
   As crianças precisam saber que você está presente para guiá-las e protegê-las. Elas precisam de adultos que identifiquem o bullying rapidamente e intervenham de forma confiante e consistente. As crianças precisam de orientações práticas e admiram adultos com os quais podem contar.

CONVERSE COM SEUS FILHOS SOBRE BULLYING

Diga que não o aprova e que todos merecem ser tratados com respeito.

bulimia

Leve a sério o que ele fala sobre o bullying.
Incentive-o a se manifestar e busque ajuda na diretoria da escola.

SAIBA IDENTIFICAR SE SEU FILHO ESTÁ SENDO VÍTIMA DO BULLYING

Isso inclui ansiedade, medo de ir à escola e notas baixas!

COMUNIQUE—SE COM A ESCOLA

Procure o diretor da escola ou o professor do seu filho para discutir o problema

Para acabar com o bullying é preciso de um planejamento claro, políticas bem definidas e muita cooperação.
Deixe claro que o bullying tem consequências.
Incentive os estudantes a se manifestarem quando forem vítimas ou testemunhas do bullying.bulimia.jpg
Tome atitudes imediatas para acabar com os incidentes e faça um acompanhamento com a vítima.
Ofereça aconselhamento às vítimas, testemunhas e também aos agressores
Estabeleça limites e consequências justos para os agressores – a compreensão, o diálogo e a educação são muito mais efetivos do que a suspensão ou a expulsão, exceto nos casos mais extremos

Mantenha um contato direto com os pais dos alunos envolvidos ou afetados pelo bullying.

Descobri que minha filha é anoréxica! E agora?

Resultado de imagem para susto

 

PRIMEIRO DE TUDO:

Uma pequena parada pra entender o conceito -bem simples- de ANOREXIA e BULIMIA..

O QUE É ANOREXIA (ANA)?

A anorexia é causada por uma imagem corporal distorcida, com um medo enorme de ganhar peso. Os sintomas incluem tentativa constante de manter o peso abaixo do normal por meio de inanição ou exercícios em excesso.

O QUE É BULIMIA (MIA)?

Pessoas com este problema comem compulsivamente e em seguida, induzem o vômito. (além dos exercícios excessivos e jejum)

E SE VOCÊ DESCOBRIU OU ATÉ DESCONFIA QUE SEU FILHO TEM UMA DESSAS -OU AS DUAS- DOENÇAS:

keepcalm.jpg

 

1-Você precisa ser bem delicada com cada palavra que vai dizer pra sua/seu filha (o). 

Ela/ele está numa fase onde a Anorexia (Ana) e/ou Bulimia (Mia) é o que o faz feliz no momento. Então, procure entendê-lo.

2- O ouça. Se seu filho recorreu a anorexia, certamente não foi à toa! O bullying, é, na maioria das vezes, a causa que o levou a entrar nesse mundo.

3- Tenha muita, mais MUIIITAA paciência mesmo! 

4- Leve-o ao psicólogo e ao psiquiatra. Mas não faça isso ser uma tortura. Converse com seu filho, ouça o que ele tem a dizer, o porquê dele ter entrado na anorexia e quais são seus desejos agora.

 

É muito importante você reconhecer a qual estágio da doença chegou.

E mais importante ainda os pais reconhecerem também.